tempo.pt

Agosto de 2022 foi o sexto agosto mais quente no globo

A NOAA divulgou a análise da temperatura global referente ao mês de agosto de 2022 e concluiu que este foi o sexto agosto mais quente desde que se iniciaram os registos em 1880. Saiba mais aqui!

Calor
Em agosto de 2022 a temperatura média global de superfície foi a sexta mais elevada para o mês de agosto.

Os Centros Nacionais de Informação Ambiental (NCEI-National Centers for Environmental Information) da NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) dos EUA calculam mensalmente a anomalia da temperatura global com base em dados preliminares gerados a partir de observações de temperatura de todo o mundo, tanto da superfície da terra, como dos oceanos.

Temperatura no globo no mês de agosto

Segundo os cientistas dos Centros Nacionais de Informação Ambiental da NOAA, a temperatura média global da superfície terrestre e oceânica em agosto foi 0,90 °C acima da média do século XX, que é de 15,6 °C.

Os dez agostos mais quentes de que há registo ocorreram todos desde 2009. Agosto de 2022 marcou também o 46º mês de agosto consecutivo e o 452º mês consecutivo com temperatura acima da média do século XX.

Anomalias da temperatura_NOAA
Anomalias da temperatura da superfície do globo, no mês de agosto no período de 1880 a 2022. Fonte: NOAA Global Climate Report August 2022

A temperatura da terra no Hemisfério Norte em agosto igualou o recorde de 2021 para as temperaturas mais quentes de que há registo. Da mesma forma, a temperatura da terra e do oceano do Hemisfério Norte em agosto, empatou com o recorde de 2020 como o agosto mais quente de que há registo.

Temperatura nos continentes e oceanos

O mês de agosto foi caracterizado por condições mais quentes do que a média em grande parte da Europa, América do Norte, sul e sudeste da Ásia, bem como em regiões do norte de África, norte da América do Sul, Península Arábica e norte da Oceânia.

As temperaturas à superfície do mar foram acima da média em grande parte do norte, oeste e sudoeste do Pacífico, Golfo do México, Mediterrâneo e zonas do oceano Atlântico.

Anomalias da temperatura global
Anomalias da temperatura média da superfície do globo em agosto de 2022, em relação ao valor médio no período 1991-2020 (áreas a cinzento representam falta de dados). Fonte: NOAA Global Temp v5.0.0-20220908

Temperaturas inferiores à média de agosto verificaram-se em algumas regiões da Rússia central, sudeste do Paquistão, Cazaquistão central, Mongólia oriental e sul do Chile.

Consistentes com La Niña, as temperaturas à superfície do mar estavam abaixo da média em grande parte do Pacífico tropical sul-central, central e oriental. No entanto, este mês não se observaram zonas com temperaturas recorde para agosto.

Temperaturas extremas

Foram observadas temperaturas recorde em agosto em algumas regiões do noroeste dos EUA, sudoeste do Canadá, Espanha, Itália, China, sudeste da Ásia e Nova Zelândia.

A América do Norte, a Europa e a China registaram o agosto mais quente de sempre, bem como a Bélgica que teve o agosto mais quente desde que se iniciaram os registos, em 1833.

Globalmente, as temperaturas recordes de agosto atingiram cerca de 8,2% da superfície mundial, sendo a 3ª maior percentagem para as temperaturas recordes de agosto.

Gelo no Ártico e na Antártida

A extensão de gelo no Ártico no mês de agosto foi 16,8% abaixo da média de 1981-2010 e a 13ª menor extensão para agosto, enquanto que a extensão de gelo na Antártida atingiu um recorde mais baixo para agosto com 4,2% abaixo da média.

Ciclones Tropicais

A atividade dos ciclones tropicais esteve abaixo da média para agosto. Registaram-se nove tempestades tropicais às quais foram atribuídos nomes, o número mais baixo desde 1981. Não se registou nenhum ciclone tropical no Atlântico.

Cheias

Uma época de monção muito forte no Paquistão provocou fortes chuvas que deram origem a cheias catastróficas. Cerca de um terço do país ficou debaixo de água.