tempo.pt

Aguaceiros, trovoadas, dias com 40 ºC e noites tropicais em Portugal

A primeira metade da semana será de céu nublado, acompanhado por vezes de aguaceiros e trovoada nalgumas áreas de Portugal continental. Contudo, a partir de quarta-feira o calor intenso voltará a ser notícia no nosso país. Até quando? Confira a previsão!

calor intenso; Portugal; tempo quente
Vêm aí vários dias de calor intenso, com os termómetros a bater nos 40 ºC em vários pontos de Portugal continental.

Antes do calor intenso que está quase a “abraçar” Portugal continental (a partir de quarta-feira, 6 de julho), tal como avançámos em primeira mão há vários dias atrás, realce-se a presença de uma pequena depressão isolada em altitude, que ao estar situada sobre Portugal continental e Galiza (oeste peninsular) contribuirá para o desenvolvimento de trovoadas. Além de já ter ocorrido nalguns períodos da madrugada de hoje, o cenário repetiu-se durante a tarde em pontos dispersos das regiões do interior do Norte e Centro do nosso país.

Para terça-feira, espera-se uma “quebra” da depressão em altitude e, com o decorrer das horas, a mesma irá percorrendo a Península Ibérica. Será uma das jornadas mais instáveis desta semana. Há risco de aguaceiros, por vezes fortes, potencialmente acompanhados por trovoada, que será mais intensa especialmente no interior e em redor de áreas montanhosas. Mesmo assim, não se descarta a sua ocorrência junto de cidades perto da linha de costa.

De acordo com o nosso modelo de confiança, a atividade elétrica poderá abranger praticamente toda a Região Norte, bem como grande parte do Centro, estendendo-se pelo menos até Lisboa. Será mais provável entre as 13h e as 21h. Prevê-se também subida da temperatura, e o calor será um “ingrediente” favorável ao desenvolvimento dos núcleos convectivos e das células de trovoada. Espera-se máxima de 26 ºC no Porto, 32 ºC em Bragança, 31 ºC em Coimbra, 28 ºC em Lisboa, 32 ºC em Évora e 24 ºC em Faro. O fluxo será forte e soprará predominantemente de Noroeste.

Verão impõe-se categoricamente a partir de quarta-feira, com termómetros a bater nos 40 ºC

O verão vai impor-se categoricamente no país inteiro a partir de quarta-feira, 6 de julho, quando se prevê uma acentuada e generalizada subida da temperatura. Este panorama meteorológico de calor intenso é esperado, pelo menos, durante toda a segunda metade da semana em Portugal continental. Tal deve-se a uma corrente de leste que, enquadrada no anticiclone situado a nordeste dos Açores, irá ganhar força, expandindo-se em crista até à Europa Central e arrastando uma massa de ar quente e seco sobre o nosso país.

Espera-se uma subida dos valores térmicos, sobretudo das máximas, com os termómetros a ultrapassar os 30 ºC em quase todo o país, exceto nalguns locais do litoral ocidental. Antecipa-se um tempo quente de plena canícula (embora esta só comece oficialmente a 15 de julho) dado que se prevê entre 35 ºC e 40°C nos territórios do interior e nos vales do Tejo e do Sado. De maneira pontual poderão ser registados valores ligeiramente superiores (41 ºC ou 42 ºC).

mapa temperatura Portugal continental
Além do intenso acumulado durante o dia, as noites serão tropicais em muitas regiões do nosso país nos próximos dias.

Destaque-se também a provável subida das temperaturas mínimas nalgumas regiões e que, nalgumas localidades darão origem a noites tropicais (quando a mínima não baixa dos 20 ºC durante a noite). O calor estival vai intensificar a cada dia, pelo menos, entre quinta-feira 7 e domingo, 10 de julho, com condições de céu limpo ou pouco nublado, ambiente quente e seco e vento de Leste.

Os mapas do tempo sugerem que, a médio prazo (próximos 10 dias), as temperaturas se irão manter bastante elevadas. Graças à corrente de leste, o vento soprará predominantemente desse quadrante, manifestando intensidade fraca a moderada. Nas terras altas poderá, por vezes, apresentar-se forte. Na faixa costeira ocidental poderá soprar momentaneamente de Noroeste no período vespertino (à tarde).

O risco de incêndio e o perigo que o calor constitui para a saúde

Este estado do tempo - muito quente e seco - conjugado com os reduzidos valores de humidade relativa do ar, constituirá um risco acrescido para o perigo de deflagração de incêndios rurais ou florestais.

Por último, recomendamos-lhe cautela com o verão, estação mais quente do ano e a chamada época estival. Assim, sugerimos-lhe os seguintes cuidados a ter com o calor: constante hidratação, colocar protetor solar, procurar por lugares à sombra e usar roupas claras, leves e frescas. Evite também fazer exercício físico nas horas de maior calor (aproximadamente entre 11h-16h).