El Niño previsto para o final de 2020

O fenómeno meteorológico "El Niño" poderá ocorrer brevemente na região do Pacífico. Investigadores de diversas universidades descobriram que é provável que haja um "El Niño" no final do ano de 2020. Saiba mais aqui!

Joana Campos Joana Campos 09 Nov. 2019 - 13:30 UTC
El Niño
O El Niño traz aquecimento das águas do mar e da temperatura do ar (NOAA).

Por norma os modelos de previsão não costumam anteceder estes fenómenos, contudo, um novo algoritmo desenvolvido por investigadores analisa a temperatura do ar na região do Pacífico e consegue assim, prever este evento, como já aconteceu nas últimas duas vezes. Estas previsões, com cerca de um ano de antecedência, são bastante úteis principalmente para os agricultores do Brasil, Austrália e Índia, pois desta forma podem preparar-se para as colheitas, de acordo com as alterações meteorológicas.

O que é o "El Niño"?

O "El Niño" é um fenómeno de alterações significativas na distribuição da temperatura da superfície da água do Oceano Pacífico, que correspondem a alterações nos estados de tempo. Quando acontece um "El Niño" (entre 2 a 7 anos), os ventos sopram com menos força e chegam a inverter a direção em todo o centro do Oceano Pacífico, resultando numa diminuição da ressurgência de águas profundas e na acumulação de água mais quente que o normal, na costa oeste da América do Sul e, consequentemente, na diminuição da produtividade primária e das populações de peixe.

Este evento baseia-se em massas de ar quente e húmido que acompanham a água mais quente, provocando chuvas excecionais na costa oeste da América do Sul e secas na Indonésia e Austrália. Num ano de "El Niño", o Inverno é mais quente do que a média nos Estados centrais dos EUA, enquanto que nos do Sul há mais chuva. Por outro lado, os Estados do noroeste do Pacífico têm um Inverno mais seco. Os verões excecionalmente quentes na Europa e as secas em África parecem estar igualmente relacionados com o aparecimento do "El Niño".

Nino 2020
O retângulo vermelho indica a área em que o Índice Oceânico de Niño (ONI) é medido.

Métodos de previsão

"Os métodos convencionais não conseguem fazer uma previsão confiável do "El Niño" com mais de seis meses de antecedência. Com o nosso método, dobramos esse tempo", diz o físico Armin Bunde, que iniciou o desenvolvimento deste novo algoritmo em conjunto com o ex-estudante de doutoramento Josef Ludeschen.

O director do Instituto de Investigação Climática de Potsdam, Hans Joachim Schellnhuber, explica que: "Esta combinação inteligente, entre dados e cálculos, fornece-nos informações únicas que podemos disponibilizar às pessoas afetadas". Ele afirma claramente que este método de previsão não é 100% fiável. "A probabilidade do "El Niño" acontecer em 2020 é de cerca de 80%. Mas isso é bastante significativo". Josef Ludeschen diz também que: "A equipa está atualmente a expandir o algoritmo de forma a que seja possível prever a força e a duração deste fenómeno meteorológico no futuro".

Publicidade