Setembro de 2021 foi o quinto mais quente de sempre no Globo

A NOAA divulgou a sua análise da temperatura global referente ao mês de setembro de 2021, concluindo que a temperatura média global de superfície foi a quinta mais elevada desde que se iniciaram os registos em 1880.

onda de calor; termómetros
Setembro de 2021 foi um dos mais quentes desde que se iniciaram os registos em 1880.

De acordo com a previsão do NCEI (National Centers for Environmental Information) da NOAA (National Oceanic and Atmospheric Administration) dos Estados Unidos, é quase certo que 2021 esteja, com uma probabilidade superior a 99%, entre os 10 anos mais quentes desde que há registo.

Temperatura global no mês de setembro

Segundo a NOAA, a temperatura média global para setembro foi 0,90 ºC acima da média do século XX, 15,0 ºC, o que faz com que setembro de 2021 seja o quinto setembro mais quente do registo climático de 142 anos. Apenas os meses de setembro de 2015, 2016, 2019 e 2020 tiveram uma temperatura média mais elevada.

Os oito setembros mais quentes do mundo ocorreram todos a partir de 2014.

Setembro de 2021 ficou marcado também como o 45º mês consecutivo de setembro e o 441º mês consecutivo com temperaturas acima da média entre os séculos XX e XXI.

Desde o início do ano até final de setembro, a temperatura média global foi a sexta mais quente de que há registo, 0,83 ºC acima da média do século XX.


Anomalias da temperatura
Anomalias da temperatura da superfície do globo, no mês de setembro no período de 1880 a 2021. Fonte: NOAA Report September 2021

Na região norte dos EUA, o mês de setembro foi o 3º setembro mais quente registado, logo a seguir aos setembros de 1998 e 2019. A parte central dos EUA registou o 5º setembro mais quente em 127 anos de registos e a América do Sul bateu o recorde de setembro mais quente, ultrapassando o ano 2015. Por outro lado, na Europa, apesar de se terem registado temperaturas acima da média, foi o setembro mais frio desde 2013.

Na Ásia, registou-se o 9º setembro mais quente de sempre. À semelhança da América do Sul, também em África foi batido o recorde de setembro mais quente, ultrapassando o ano de 2017.

Na Oceânia, setembro foi o mais frio desde 2018, apesar da temperatura ter sido acima da média. A Austrália teve temperaturas acima da média, com uma anomalia da temperatura média nacional de 1,01 ºCacima da média no período 1961-1990. E quanto aos fenómenos relevantes no Globo no mês de setembro?

Gelo no Ártico

A extensão de gelo do mar Ártico atingiu a sua extensão mínima anual a 16 de setembro de 2021, marcando o fim da época de derretimento no verão e o início da época de crescimento no inverno.

Em setembro, a extensão de gelo no Ártico foi 23,2% abaixo do valor médio no período de 1981-2010 e tornou-se a 12ª menor extensão para um mês de setembro desde 1979, ano em que se iniciaram os registos através de satélite.

Ciclones tropicais

O mês de setembro e o ano de 2021 até agora têm sido muito ativos em ciclones tropicais. A contagem global de ciclones tropicais de 2021 até ao final de setembro foi de 75 tempestades nomeadas - o quinto maior número registado de tempestades nomeadas para este período de nove meses. Em setembro, a bacia atlântica registou 10 tempestades nomeadas, igualando os anos de 2020 e 2010. Este é o maior número recorde de tempestades nomeadas para o mês de setembro.

De assinalar o ciclone tropical Nicholas que atingiu o Texas no dia 14 de setembro. À medida que se deslocava sobre Louisiana provocou chuvas intensas e cheias em muitas regiões da costa, que já tinham sofrido recentemente o impacto do ciclone tropical Ida.

De referir também que, no início de setembro, a região nordeste dos EUA foi atingida por chuvas sem precedentes devido à influência do que restava do ciclone Ida, juntamente com a ação de um sistema frontal muito ativo.

O tufão Chanthu atingiu o norte das Filipinas no dia 11 de setembro provocando danos avultados devido ao vento.