Mulher gravemente ferida ao ser atingida por relâmpago em Barcelona

Ontem as tempestades descarregram na Catalunha 1694 relâmpagos nuvem-terra, segundo a Meteocat. Um deles atingiu uma mulher em Sant Antoni de Vilamajor, encontrando-se agora em estado grave.

Alfredo Graça Alfredo Graça 18 Jul. 2019 - 18:21 UTC
Mais de 1000 relâmpagos caíram no solo catalão. Um deles atingiu uma mulher, ferindo-a gravemente.

Ontem à noite uma mulher deu entrada em estado grave devido à queda de um relâmpago no município de Sant Antoni de Vilamajor (Barcelona), segundo informou a Proteção Civil local. Num breve comunicado na sua conta de Twitter recolhido pela Europa Press, o serviço da Generalitat informava que uma mulher de 43 anos foi atingida pela queda de um relâmpago durante a tempestade de ontem, quarta-feira.

Os Serviços de Emergências Médicas da Generalitat atenderam-na e foi transferida com "prognóstico grave" para o Hospital de Vall d'Hebrón. O incidente ocorreu em plena tempestade. Os primeiros cumulonimbus apareceram nos Pirinéus catalães por volta do meio-dia e depois, com o decorrer das horas, foram-se deslocando até sudeste empurrados por outros novos, que se iam desenvolvendo na Catalunha Central.

Ás sete da tarde as nuvens alcançaram os 12 quilómetros de altura, desenhando formas escuras, em forma de arcus, que foram alvo de fotografias e vídeos que inundaram as redes sociais. Os testemunhos davam conta da violência da tempestade, que prontamente evoluiu para um acumulado significativo de chuva, vento e inclusive granizo. Os acumulados de precipitação mais relevantes registaram-se em Bages, Baix Llobregat e Vallés Occidental, segundo a Meteocat. O aguaceiro, numa questão de 30 minutos, descarregou 29.8 litros por metro quadrado em Sant Llorenç Savall, 27.7 l/m2 em Montserrat e 26.4 l/m2 em Castellnou de Bages.

O temporal chegou acompanhado por um autêntico vendaval, com rajadas de até 101 km/h no Observatório Fabra, 93 km/h em Sant Romà d’Abella e 88 km/h em Organyà. Inúmeras árvores foram derrubadas, também houve danos no mobiliário urbano, e os problemas nas estradas multiplicaram-se nas horas de máxima afluência de trânsito. A Proteção Civil recebeu, entre as seis da tarde e as 11 da noite, 527 chamadas devido a 345 incidentes provocados pela tempestade.

3163 relâmpagos nuvem-terra

A XDEE (siglas em catalão da Red de Detección de Descargas Eléctricas) detetou até 3163 relâmpagos nuvem-terra, e 1694 caíram em território catalão. Um deles atingiu o parque de estacionamento de Can Sauleda resultando numa mulher ferida. Este fenómeno meteorológico é considerado um dos mais perigosos, não obstante, ser atingido por um deles supõe azar e/ou uma situação muito concreta: assumir-se como o ponto mais destacado de um espaço com poucos relevos. A probabilidade de sermos alcançados por um relâmpago é de 1 em 3 milhões, mas mais vale não testar a sorte.

Publicidade