tempo.pt

Incêndio McKinney: o maior incêndio deste ano na Califórnia

O incêndio intitulado de McKinney, na Califórnia, propagou-se rapidamente num ambiente de calor abrasador, seca e relâmpagos. Saiba tudo aqui, connosco!

Incêndio florestal
Os incêndios florestais têm sido mais frequentes e intensos nos últimos anos.

A conjugação da seca, do calor intenso e da baixa humidade que se tem feito sentir na Califórnia tem aumentado o risco de incêndio florestal.

O incêndio florestal, designado por McKinney, deflagrou numa região no Norte da Califórnia e teve o seu início durante a tarde do passado dia 29 de julho, sexta-feira, na Floresta Nacional de Klamath, perto da fronteira Califórnia-Oregon. Desde então, tem queimado mais de 22 000 hectares. Entretanto foi-se aproximando perigosamente de casas, o que obrigou à evacuação de quase 2000 residentes só num dia.

Incêndio McKinney

Este incêndio propagou-se rapidamente e estendeu-se, no último fim de semana de julho, por mais de 7000 hectares em menos de 12 horas.

Somente em 3 dias, o incêndio McKinney passou a ser o maior incêndio da Califórnia, este ano.

O incêndio McKinney cresceu significativamente à medida que ventos fortes no final da noite, associados a situações de instabilidade, com trovoadas e relâmpagos, mantinham o fogo muito ativo durante toda a noite.

A situação meteorológica de relâmpagos e trovoadas dispersas podem ser extremamente perigosas para os bombeiros, uma vez que os ventos podem ser erráticos e muito fortes. Isto torna possível que o fogo se propague em qualquer direção.

As trovoadas que ocorreram durante o fim-de-semana foram trovoadas secas, o que acontece quando a chuva evapora antes de atingir o solo, deixando apenas relâmpagos capazes de iniciar novos incêndios e alimentar os existentes.

Relâmpagos
O relâmpago é um fenómeno natural que pode ser responsável pela deflagração de um incêndio.

Segundo o Serviço Florestal dos EUA, o fumo denso sobre o fogo ajudou a abrandar o seu desenvolvimento no domingo, mas também forçou os aviões de combate a incêndios a permanecerem em terra.

No início da semana, o incêndio ainda não estava controlado, as chamas continuavam a espalhar-se através da vegetação seca, e os bombeiros enfrentavam uma batalha difícil entre relâmpagos e trovoadas que complicavam os esforços.

Um dos bombeiros referiu que em mais de 22 anos como bombeiro, nunca tinha visto nada como o comportamento deste fogo à noite. Além de um pouco apocalíptico, parecia absolutamente surreal.

Um total de 849 bombeiros combateram o incêndio, atacando as chamas do solo e do ar, enquanto trabalham para defender as casas evacuadas.

No entanto, este não foi o único incêndio com que as equipas de bombeiros tiveram de lidar. Só no domingo à tarde, foram comunicados 10 fogos florestais na Floresta Nacional de Klamath, de acordo com as autoridades.

Impactos e causas do incêndio

Este incêndio obrigou as autoridades da região a ordenar a evacuação de comunidades. Quase 2 mil residentes foram evacuados só no sábado (dia 30 de julho). Já recentemente ocorreram intensos incêndios na Sierra Nevada, na Califórnia, que também levaram à evacuação de pessoas.

O incêndio McKinney além de ter destruído casas e ameaçado infraestruturas críticas, provocou a morte a quatro pessoas. Segundo as autoridades de Siskiyou County, duas dessas pessoas foram encontradas mortas dentro de um veículo que ardeu no caminho do incêndio.

Seca
Seca, calor intenso e humidade baixa são fatores que contribuem para o aumento do risco de incêndio.

As condições de seca persistente na Califórnia prepararam o terreno para que os incêndios se espalhassem rapidamente na floresta, com fogos que queimam combustíveis extremamente secos e recetivos.

Espera-se que os incêndios florestais se tornem mais frequentes e intensos no globo, na medida em que se estão a verificar mais ondas de calor e secas intensas.