StoreWindows10

Depressão Gisele em Portugal desfila na 'passerelle' nacional

Os temporais prosseguem em catadupa em Portugal. Uma nova tempestade, com origem a norte do Arquipélago dos Açores, chega ao nosso país esta terça-feira. Espreite o que nos espera para os próximos dias. 

Alfredo Graça Alfredo Graça 13 Mar. 2018 - 16:01 UTC
Depressão Gisele terá o período mais crítico da sua passagem em Portugal amanhã, 14 de março.

Num espaço de apenas 14 dias, o nosso “retângulo” à beira-mar plantado e as Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, foram bombardeados pela presença de duas tempestades. Depois da Depressão Emma e da Tempestade Félix, segue-se a intempérie Gisele para os próximos dias. Esta depressão, originada a norte do Arquipélago dos Açores, traz chuvas intensas e ventos fortes. O mar estará revolto e constituirá perigo para quem se atrever a passear junto à linha de costa.

Se por um lado, a chuva é particularmente decisiva para a agricultura portuguesa e para o enchimento de barragens, vários portugueses já questionam até quando durará esta chuva que tem tanto de milagrosa pelo bem que faz às terras portuguesas, como de diabólica pelos prejuízos materiais que já causou - tornados, agitação marítima e queda de neve.  Para já, o sol primaveril não passa duma miragem... Até quando durará este desfile de tempestades?

É certo que hoje os primeiros efeitos da Gisele já se farão sentir, mas é amanhã que se dá o auge duma depressão que afetará sobretudo o Norte português. Para hoje está previsto um panorama geral de céu nublado com chuva fraca em praticamente todo o território nacional. Contudo, algumas exceções acontecem e no caso de Viseu, a chuva cairá em regime moderado. Os habitante das cidades de Leiria e Santarém só terão de se preocupar com a ausência do sol uma vez que a nebulosidade impera, sem ocorrência de precipitação.

Nas Regiões Autónomas, é natural que chova mais na capital açoriana do que na homóloga madeirense já que a Depressão Gisele originou-se a norte dos Açores. Prevê-se céu nublado com chuva moderada para Ponta Delgada e alguns períodos nublados com chuva fraca para o Funchal. Os ventos soprarão fortes durante o dia de hoje nos Açores, com rajadas máximas de 80 km/h a 90 km/h entre as 14h e as 21h.

Previsão do estado de tempo para as 18h de amanhã, 14 de março, em Portugal Continental.

Período mais crítico da Depressão Gisele

Amanhã será o período mais crítico protagonizado pela Depressão Gisele, especialmente no Continente. Ainda que dure pouco tempo, esta tempestade inspira cuidados durante todo o dia de quarta-feira. Sem exceções, todo o território continental terá chuva moderada com céu nublado. Porém, na maioria das cidades portuguesas, o sol poderá ser visto a espreitar por entre as nuvens em alguns momentos do dia.

Ventos de sudoeste soprarão moderado a forte afetando sobretudo os distritos de Vila Real, Bragança, Aveiro, Coimbra, Leiria, Lisboa, Setúbal e Faro. As rajadas de vento deverão atingir máximos de 90 km/h a partir das 14h na maioria destes territórios. A agitação marítima coloca grande parte das cidades portuguesas com frente litoral em aviso amarelo, estando previstas ondas com alturas de 4 e 5 metros vindas de oeste. Se praticar atividade profissional relacionada com o mar, consulte permanentemente as previsões meteorológicas.

Nas Ilhas, a quantidade de precipitação amanhã será bem diminuta comparativamente a hoje. Está prevista a ocorrência de precipitação fraca e alguns períodos nublados para os territórios insulares. Depois de amanhã, a Gisele já estará no Golfo da Biscaia não interferindo particularmente com o tempo previsto para Portugal. 

Publicidade