tempo.pt

Alterações climáticas: a Arábia Saudita, em breve inabitável?

A Arábia Saudita, que irá acolher os Jogos Asiáticos de Inverno em 2029, poderá tornar-se completamente inabitável até 2100 devido ao aquecimento global. A duração das ondas de calor poderia exceder 200 dias por ano!

riade
O aquecimento global tornará o país quase "inabitável" até 2100.

A decisão foi anunciada na quarta-feira passada, a Arábia Saudita foi designada para acolher os Jogos Asiáticos de Inverno em 2029, na zona montanhosa de Neom, onde em breve deverá ser construída uma grande megalópole futurista. Uma decisão surpreendente, no mínimo, num país desértico que será um "hotspot" do aquecimento global no século XXI.

Jogos no meio do deserto...

A sessão de 2029 dos Jogos Asiáticos de Inverno terá lugar em Neom, uma cidade saudita... que ainda não existe! É de facto um projeto futurista da cidade no Mar Vermelho, que deve ver a luz do dia durante os Jogos de 2029. Este projeto escandaloso promete uma cidade "zero carbono", onde os táxis voadores circularão entre os arrumadores robóticos...

Os jogos deverão ser realizados em Trojena, a poucos quilómetros de Neom, numa área muito montanhosa. As temperaturas por vezes descem abaixo dos 0 °C no inverno, mas o clima é desértico. Portanto, os organizadores dos Jogos terão de fornecer neve artificial para as competições de esqui.

Embora a organização dos Jogos Asiáticos prometa uma grande plataforma para o projeto Neom, não deve obscurecer o facto de que a Arábia Saudita já é um "hotspot" do aquecimento global, e esta tendência continuará ao longo do século.

Um estudo internacional conduzido por Johannes Lelieveld, diretor do Departamento de Química Atmosférica em Mainz, Alemanha, explicou mesmo em 2016 que o país poderia tornar-se "inabitável" até 2100. Isto deve-se a um aumento do número de dias quentes, que pode chegar a mais de 200 por ano!

Um clima infernal para os seres humanos

Em detalhe, este estudo analisa as projeções climáticas para o Médio Oriente e Norte de África com a ajuda dos cenários RCP 4.5 e 8.5 do IPCC. Estes cenários refletem emissões de gases com efeito de estufa de magnitude variável, por conseguinte, um aquecimento cada vez menor. O cenário RCP 4.5 é um cenário "mediano" e o RCP 8.5 um cenário "pessimista".

O estudo revela que o clima já mudou significativamente ao longo das últimas décadas no Médio Oriente. Por exemplo, o número de dias e noites quentes duplicou desde os anos 70.

Qualquer que seja o cenário de emissão de gases com efeito de estufa, as projeções não são muito encorajadoras para a região. As noites dificilmente trarão qualquer arrefecimento com uma média prevista de 30 °C até meados do século para as noites mais quentes.

Durante o período de referência, a duração média das ondas de calor foi de 16 dias. Esta projeção sobe para 80-120 até meados do século e chega mesmo aos 200 para o cenário RCP 8.5 até ao final do século! Mais de um dia em dois no ano seria, portanto, considerado uma "onda de calor".

Estas mudanças extremamente violentas terão um impacto na saúde humana, mas também em todos os ecossistemas que aí vivem. Para os cientistas, esta região, e em particular a Arábia Saudita, poderia assim tornar-se inabitável para certas espécies, especialmente para os seres humanos.