Vulcão Kilauea entra em erupção no Havai

O grande vulcão Kilauea, localizado na Grande Ilha do Havai, entrou em erupção na noite do passado domingo (20)! Por enquanto a erupção não representa grande ameaça para a população da ilha, mas o vulcão permanece ativo e novas erupções podem ocorrer!

vulcão Kilauea
Câmaras dentro do Parque Nacional de Vulcões no Havai capturaram o momento em que o vulcão Kilauea entrou em erupção. Foto: Observatório de Vulcões Havaianos/USGS.

O vulcão Kilauea estava mais ou menos tranquilo desde agosto de 2018, última vez que entrou em erupção e abalou a Grande Ilha do Havai, mas logo após as 21h30 (horário local do Havai) de domingo (20), o grande vulcão voltou ao ativo!

A nova erupção deste domingo ocorreu na cratera Halema’uma’u, dentro do cume do vulcão Kilauea, a mesma onde ocorreu a erupção de 2018. A lava da erupção ferveu a água do lago que existia no interior da cratera, formando um novo lago de lava. Após a erupção inicial, torres de lava em erupção chegaram a alcançar até 50 metros.

Ainda não há muitas informações e detalhes a respeito desta nova erupção, pois ela apenas começou no domingo e continua a evoluir rapidamente, de acordo com comunicado do Observatório de Vulcões Havaianos do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês).

Momentos depois da erupção, às 22h36 (no horário local), um terramoto de magnitude 4.4, vindo do lado sul do vulcão, sacudiu a Grande Ilha do Havai, mas nenhum dano significativo foi registado. A USGS disse ter recebido mais de 500 relatos de pessoas que sentiram o terramoto de forma leve.

O Serviço Meteorológico Nacional (NWS, sigla em inglês) em Honolulu emitiu um alerta sobre uma possível queda de cinzas em regiões a sudoeste do vulcão, devido a atuação dos ventos alísios na região. A Defesa Civil chegou a pedir para a população ficar dentro de casa, já que a exposição às cinzas vulcânicas pode causar irritação nos olhos e nas vias respiratórias.

Mas, algumas horas depois, a Defesa Civil disse não ter detetado nenhuma queda de cinzas, já que grande parte da pluma de fumo que saía do vulcão era vapor de água oriunda da evaporação do lago do seu cume.

Por enquanto a erupção não representa uma grande ameaça para a população da ilha, já que a erupção está a ocorrer no topo do vulcão e as casas estão bem abaixo disso e mais distantes. Mas a situação pode mudar, já que novas erupções podem ocorrer e estas não são muito previsíveis.

De acordo com o Observatório de Vulcões Havaianos, o vulcão já estava a apresentar sinais de atividade subterrânea nas últimas semanas e meses. Desde setembro deste ano que partes do vulcão, incluindo o cume, já estavam a encher. A partir de novembro pequenos terramotos passaram a ocorrer logo abaixo do cume e noutras regiões do vulcão.

O vulcão Kilauea é um dos vulcões mais ativos do mundo e regularmente entra em erupção. Na última erupção ocorrida em 2018, o vulcão expeliu lava por 4 meses, destruindo um total de 700 casas na Grande Ilha. Em alguns pontos da ilha camadas de lava acumulada chegaram até 24 metros de espessura.