Tufão Lekima aproxima-se da costa leste da China

Um poderoso tufão dirige-se para a costa chinesa com a promessa de chuvas e ventos fortes. Estima-se que seja o mais forte dos últimos cinco anos, sendo que as autoridades chinesas emitiram já um alerta à população. Contamos-lhe tudo aqui.

João Tomás João Tomás 10 Ago. 2019 - 08:40 UTC
Costa leste da China enfrenta tufão de grandes dimensões.

As autoridades de Taiwan, e mais tarde das províncias chinesas de Zhejiang, Jiangsu e Shandong emitiram um aviso vermelho, o mais alto numa escala de 4, devido à passagem do tufão Lekima nas próximas horas. Este evento de grande intensidade já provocou avultados estragos e inúmeros constrangimentos em Taiwan, estando agora a dirigir-se para a China continental, onde a velocidade do vento pode superar a barreira dos 200 km/h. Algumas ilhas do Sudoeste do Japão foram as primeiras a ser afetadas pelo Lekima, levando ao corte do abastecimento de energia elétrica em cerca de 14.000 habitações.

No território insular de Taiwan, o vento atingiu uns impressionantes 190 km/h, provocando o encerramento de escolas e serviços, bem como o cancelamento de um grande número de voos. Falhas no abastecimento de energia elétrica sentiram-se em mais de 40.000 habitações, tendo também provocado o encerramento das linhas ferroviárias de alta velocidade, a Norte da cidade de Taichung.

O território continental Chinês já está a sentir os efeitos do nono tufão da época, registando ventos fortes e ondas de grandes dimensões. As áreas costeiras das províncias acima referidas estão a preparar-se para uma possível operação de evacuação em grande escala. Os transportes aéreos e marítimos foram encerrados, estando a circulação ferroviária também afetada entre a capital chinesa e as áreas costeiras. A possibilidade da ocorrência de cheias é forte nas bacias dos rios Yangtze e Amarelo, devido aos elevados níveis de precipitação.

Tufão depois de Sismo

A vulnerabilidade das populações na ilha de Taiwan é ainda maior, já que esta enorme tempestade devastou uma área que foi afetada por um sismo de magnitude 6.0 na Escala de Richter na passada quinta-feira. O risco de derrocadas e movimentos de vertente, criado naturalmente pelo sismo, é potenciado pelos elevados níveis de precipitação debitados pelo tufão, que rondaram os 900 mm em algumas áreas montanhosas.

O Lekima é um de dois tufões ativos, neste momento, no Pacífico Oeste. Mais a Este, o tufão Krosa está a atingir as Ilhas Marianas e Guam com ventos fortes e chuvas intensas, prevendo-se que atinja o Japão, com bastante intensidade, no início da próxima semana.

Publicidade