Os 10 vídeos mais impressionantes de 2020: tempo severo e natureza

Fizemos uma compilação dos vídeos mais impressionantes do ano 2020 relacionados com a meteorologia, a natureza ou a ciência. Desde os efeitos causados pelo catastrófico furacão Iota, passando por tempestades de granizo descomunais ou trombas de água, até chegar ao número 1. Qual será?

O top 10 com os vídeos de maior impacto do ano já é um clássico da Meteored. A nossa redação acumula 3 anos de procura diária e incansável de testemunhos audiovisuais, que retratam desde os fenómenos meteorológicos mais extremos do planeta até pequenas curiosidades, relacionadas com a natureza ou a ciência. Nesta edição temos um ranking devastador, com alguns episódios que se revelaram trágicos, tais como o furacão Iota, a avalanche no Myanmar ou a explosão em Beirute. Este último entrou por razões óbvias de impacto e, embora não pareça, mostrou também uma reação relacionada com a física e a meteorologia.

A revisão começa com uma majestosa 'nuvem rolo' ou 'roll cloud' em Block Island, no extremo nordeste dos Estados Unidos. São nuvens alongadas, horizontais e em forma de tubo ou de rolo, como o seu nome sugere. Foram recentemente integradas no Atlas das Nuvens da OMM como 'volutus'. Para a nona posição não abandonamos terreno norte-americano, que nos últimos meses se transformou numa fonte inesgotável de vídeos chocantes, alguns deles relacionados com os incêndios monstruosos na Califórnia. Ali, a cidade de São Francisco acabou por ficar submersa numa densa nuvem de fumo que deu a volta ao mundo. Isto aconteceu no início de setembro, quando o estado tinha mais de 40 fogos ativos.

Na posição número oito colocámos a descomunal tempestade de granizo na Hungria no final de agosto, e logo a seguir, as trombas de água simultâneas que nessas mesmas datas foram vistas ao largo da costa do Louisiana, junto de uma plataforma petrolífera. Em sexto lugar estão os efeitos do Furacão Iota, que alcançou categoria 5 pouco antes de atingir o Nicarágua e depois, sobrevoar as Honduras e a Colômbia. Deixou dezenas de mortos e milhares de desalojados, agravando os danos deixados pelo Furacão Eta, que fez a mesma trajetória alguns dias antes. Após a destruição da Ilha de Providencia, na Colômbia, aparece a chuva congelante na cidade russa de Vladivostok, que em novembro deixou literalmente petrificada a paisagem urbana.

Na quarta posição estão as cortinas de neve da cidade turca de Hopa, antes de chegarmos ao dramático top 3. Na terceira está a avalanche no Myanmar, na Birmânia, que custou a vida a pelo menos 100 pessoas; na segunda posição está o vendaval de Yekaterinburg, que atirou um transeunte para o ar, e para a primeira resta apenas a explosão de Beirute. A 4 de agosto, esta cidade do Líbano sofreu uma das maiores deflagrações não nucleares da história, resultando em 190 mortos, mais de 6.500 feridos e 300.000 desalojados. Como aconteceu num ambiente húmido, a onda de choque foi envolvida por uma assombrosa nuvem de Wilson. Oxalá 2021 traga um ranking mais amável.