tempo.pt

Insólito! Um peixe-dragão muito raro foi filmado na Califórnia

Este peixe em forma de torpedo, cor de bronze, é muito raro e difícil de observar. Em 30 anos de investigação em alto mar, só foi visto 4 vezes. Recentemente, os cientistas conseguiram filmá-lo nas profundezas do oceano Pacífico.

Peixe dragão Califórnia
Em 30 anos e mais de 27.000 horas de vídeo, este (muito raro!) peixe-dragão só foi visto 4 vezes!

Este raro peixe que vive em grande profundidade foi (finalmente!) avistado ao largo da costa do norte da Califórnia, nos Estados Unidos. O vídeo, filmado por uma equipa de investigadores na baía de Monterey, despertou um frenesim na esfera científica e suscitou um certo entusiasmo entre os biólogos marinhos, que têm tentado localizar a criatura esquiva desde há várias décadas.

O peixe-dragão de barbatanas altas, cientificamente chamado Bathophilus flemingi, pode ter até 16,5 cm de comprimento e possui filamentos longos como barbatanas. Segundo os cientistas, estas barbatanas em forma de asa permitem-lhe detetar vibrações e alertá-lo para a aproximação de predadores ou presas. Isto torna difícil a sua observação.

Com o mesmo nome da criatura mítica, o peixe-dragão tem a forma de um torpedo. Apesar do seu pequeno tamanho, é um verdadeiro predador que percorre as profundezas do oceano. De acordo com o Monterey Bay Aquarium Research Institute (MBARI), este peixe muito raro utiliza uma tática de espera para se alimentar.

A sua técnica consiste em deitar-se imóvel no meio da água à espera de crustáceos ou outros peixes para virem alimentar-se de forma insuspeita. Pode também utilizar um filamento bioluminescente (produzindo a sua própria luz por reação química) que se estende sob o queixo.

"Usa isto para atrair as presas que veem a mancha de luz incandescente e são atraídas por ela porque pensam que é algo suficientemente pequeno para comer", explica Bruce Robinson, cientista principal no MBARI. Ao aproximar-se da sua presa, o peixe-dragão abre o seu maxilar para revelar os seus dentes afiados e fechar a sua boca.

O peixe-dragão imortalizado pelos investigadores na câmara tinha uma tonalidade de cor de bronze, ao contrário de qualquer outra espécie do mar profundo: "Estes são animais simplesmente incríveis, e parte do que é atraente é esse padrão de cores", acrescenta Bruce Robinson.

Segundo o cientista, esta cor bronze poderia provavelmente ser um tipo de camuflagem porque absorve a luz azul que atinge as profundezas do oceano. Como consequência, o peixe mistura-se no seu ambiente escuro onde a luz solar já não brilha e torna-se quase invisível: "Mas quando acendemos as nossas luzes brancas sobre ele, é simplesmente magnífico.

"Em mais de três décadas de investigação em alto mar e mais de 27.600 horas de vídeo, só vimos esta espécie em particular quatro vezes! Vimos este indivíduo nos arredores da baía de Monterey a uma profundidade de cerca de 980 pés (300 metros)", escreveram os investigadores na legenda de vídeo do peixe-dragão.