tempo.pt

Em outubro a seca meteorológica desagravou significativamente em Portugal

O mês de outubro de 2022, em Portugal continental, classificou-se, do ponto de vista climatológico, como um mês muito quente em relação à temperatura do ar e chuvoso em relação à precipitação. Saiba mais aqui!

Chuva; outubro; portugal
A chuva que caiu em outubro contribuiu para desagravar a seca em Portugal.

O estado do tempo no território do continente no mês de outubro foi condicionado, quer por regiões anticiclónicas que provocaram tempo seco, ou por passagem de sistemas frontais ou regiões depressionárias que deram origem a tempo instável com ocorrência de precipitação.

Temperatura

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IPMA, em Portugal continental, no mês de outubro, o valor médio da temperatura média do ar, 18.73 °C, foi 2.53 °C superior ao valor normal. Este foi o 5º outubro mais quente dos últimos 92 anos. Os outubros mais quentes ocorreram nos anos 2017, 2014, 2011 e 1997.

O valor médio da temperatura máxima do ar, 23.91 °C, foi 2.68 °C superior ao valor médio e é o 5º mais alto desde 2000. Em mais de metade do mês de outubro, foram atingidas temperaturas máximas diárias acima dos valores médios, tendo-se verificado uma onda de calor em algumas regiões no período de 2 a 8.

Anomalias da temperatura do ar
Anomalias da temperatura média do ar no mês de outubro, em Portugal continental, em relação aos valores médios no período 1971-2000. Fonte: IPMA

O valor médio da temperatura mínima do ar, 13.56 °C, também foi superior ao valor normal com uma anomalia de 2.37 °C e é o 4º valor mais alto desde 1931.Ao longo do mês, os valores de temperatura mínima diária foram sempre acima do valor médio mensal, exceto no dia 1.

O menor valor da temperatura mínima do ar foi 1.6 °C e registou-se em Penhas Douradas no dia 31, enquanto que o maior valor da temperatura máxima do ar foi 34.8 °C, ocorreu em Alvega no dia 4.

Precipitação

Ainda de acordo com o IPMA, o valor médio da quantidade de precipitação, 121.2 mm, foi acima do valor médio para outubro e corresponde a 123% do valor da normal climatológica 1971-2000.

Anomalias da precipitação
Anomalias da quantidade de precipitação, no mês de outubro, em Portugal continental, em relação aos valores médios no período 1971-2000. Fonte: IPMA

Durante o mês é de destacar a precipitação registada na 2ª quinzena de outubro, mais significativa e intensa na região do Minho e Douro Litoral, com valores diários superiores a 60 mm. Nestas regiões o total mensal ultrapassou em geral os 200 mm, sendo mesmo nalguns locais superiores a 400 mm.

O maior valor da quantidade de precipitação em 24 horas foi 100.8 mm e registou-se em Cabril no dia 23. O maior valor mensal da quantidade de precipitação em outubro, 520.7 mm, foi registado em Lamas de Mouro.

Monitorização da Seca – Índice PDSI

A percentagem de água no solo aumentou significativamente em quase todo o território, mas em particular na região Noroeste, no litoral Centro e nalguns locais da Beira Baixa. No interior Norte, no Alentejo e no Algarve ainda se encontram muito locais com valores inferiores a 20%.

De acordo com o Índice Meteorológico de Seca, PDSI, índice meteorológico de seca calculado pelo IPMA para monitorização da situação de seca, no final de outubro, verificou-se um desagravamento significativo da situação de seca meteorológica em todo o território, com uma diminuição da área em seca e da sua intensidade.

A distribuição percentual por classes do índice PDSI no território é a seguinte: 9% chuva fraca, 29.1% normal, 34.3% seca fraca, 17.9% seca moderada e 9.7% em seca severa. Em relação ao final do mês de setembro deixou de existir a classe de seca extrema e apareceram regiões já com a classe de chuva fraca.