Temperaturas próximas dos 45 ºC: calor extremo no final da semana

O verão tímido que temos vivido em 2021 tem os dias contados dado que estamos às portas de um episódio de calor significativo, que coincide com o final da canícula. As temperaturas poderão ser extremas nalgumas regiões portuguesas. Confira a previsão!

O modelo europeu estima temperaturas próximas dos 45 ºC no final da semana.

Precisamente agora que a canícula está a terminar, tudo indica que estamos perante um episódio de calor significativo. O cenário de onda de calor é remoto, mas não está totalmente afastado. Se as previsões se cumprirem, a partir de sexta-feira as temperaturas poderão ser extremas nalgumas regiões do país, sobretudo na Beira Baixa e no Alentejo, com especial destaque para o Vale do Guadiana, Baixo Alentejo e localidades fronteiriças.

Subida gradual das temperaturas e chegada de poeiras do Saara

Hoje as temperaturas subiram ligeiramente, com máximas de até 33 ºC no Baixo Alentejo em Cuba e Ourique. No litoral a norte do Cabo Carvoeiro, o dia arrancou com alguma nebulosidade, esperando-se céu limpo ao final da tarde. Ainda assim, estas regiões serão muito fustigadas pelas nortadas, que soprarão rajadas na ordem dos 40 km/h. No resto do país, temperaturas agradáveis e céu limpo, menos afetado pelo vento de Noroeste.

Para terça-feira ocorrerá nova subida das temperaturas, sendo que no Baixo Alentejo, os termómetros já atingirão, pontualmente, máximas de 38 ºC. Em grande parte do país prevê-se céu limpo, apesar das neblinas matinais até às 8/9h, mais prováveis na costa oeste. Contudo, na raia alentejana e no sotavento algarvio o cenário será distinto. Aí, devido à intrusão do ar proveniente de África (poeiras do Saara), o céu limpo começará a mostrar uma aparência esbranquiçada. Esta situação vai acentuar-se e espalhar-se para mais regiões nos dias seguintes.

Poeiras do Saara vão atingir e dispersar-se por uma considerável extensão do território de Portugal continental ao longo dos próximos dias.

Na quarta-feira a situação será semelhante. Alguns períodos nublados em todo o litoral a norte do Cabo de Sines, com poucas oscilações nas temperaturas na vertente atlântica. Mas, no interior, prevê-se nova subida das temperaturas em mais um dia de sol, com máximas de 39 ºC na raia do Alentejo Central e do Baixo Alentejo. Por fim, a partir de quinta-feira o calor de verão chegará também às regiões do litoral português, com as temperaturas máximas a superarem os 25 ºC/30 ºC, em localidades como Porto, Figueira da Foz e Lisboa.

Será o suficiente para gerar uma onda de calor?

Segundo o nosso modelo de referência, ECMWF, durante a segunda metade da semana toda a Península Ibérica será abrangida por uma configuração em ómega, com altas pressões e uma entrada de ar muito quente com origem no norte de África. Em Espanha, calcula-se que o cenário seja consideravelmente mais gravoso do que em Portugal, pelo que a AEMET – instituto meteorológico de Espanha – já ativou o alerta para a onda de calor que afetará o país vizinho nos próximos dias. No nosso país, o cenário de onda de calor, embora remoto, não está totalmente descartado.

Segundo a OMM, uma onda de calor existe quando num intervalo de pelo menos 6 dias consecutivos, a temperatura máxima diária é superior em 5ºC ao valor médio diário no período de referência.

A situação de temperaturas anómalas, em princípio só irá prolongar-se entre sexta-feira (13) e domingo (15) nas regiões mais afetadas pelo calor em Portugal, ou seja, uma grande parte dos distritos de Castelo Branco, Portalegre, Évora e Beja. Aí, os termómetros deverão disparar para valores consideravelmente superiores ao habitual.

De acordo com a Organização Mundial de Meteorologia (OMM), uma onda de calor ocorre quando num intervalo de pelo menos 6 dias consecutivos, a temperatura máxima diária é superior em 5ºC ao valor médio diário no período de referência. Não parece ser este o caso e além disso, remete-se exclusivamente às regiões supracitadas. Convém realçar que esse cenário não está afastado, mas é menos provável que em Espanha.

Alentejo e Beira Baixa sob calor tórrido: termómetros poderão chegar pontualmente aos 45 ºC

Embora estejamos no verão, o episódio de calor significativo que chegará entre sexta-feira e domingo fará com que nesse período de tempo, e nessa extensão territorial, as máximas superem os 40 ºC durante quase 72 horas. Na Beira Baixa, mas sobretudo no Alentejo (partes oriental e austral de cada distrito alentejano) as máximas atingirão pontualmente os 44/45 ºC.

Em todo o caso, mesmo que não seja classificado como onda de calor, esta situação meteorológica não deixa de constituir um cenário preocupante dado que representa um risco acrescido por causa dos incêndios florestais. Sábado será o dia mais quente, com índices UV muito altos e temperaturas noturnas de até 27 ºC no interior alentejano. No domingo, as temperaturas, embora se mantenham elevadas, sofrerão uma diminuição, sobretudo das máximas.